domingo, 30 de dezembro de 2012

2013, o Ano das Maravilhas

Caras amigas e amigos.

Na semana passada, como de costume, pesquisei sobre a Numerologia do ano 2013.  Sei que muitos de vocês não acreditam nessas coisas, mas, como dizia meu velho pai que já partiu dessa para melhor: "Não custa nada saber". Segundo os numerólogos, 2013 é o ano da família (2+0+1+3 = 6).  Mas o que isso realmente quer dizer?

Antes de falarmos um pouco sobre o ano da família, vamos tentar obter um pouco mais de credibilidade acerca desta ciência milenar chamada Numerologia.  Para começar, você sabe quem é o grande precursor (ou mentor) desta filosofia?  Pitágoras.  Isso mesmo.  A mesma pessoa que formulou todos os fundamentos da Trigonometria, incluindo o conhecidíssimo "Teorema de Pitágoras",  também codificou, pela primeira vez, o embasamento científico do Poder dos Números.

OBS: Peço licença aos cientistas que estiverem lendo este artigo para usar o termo "científico" associado à Numerologia, pois ela ainda não é considerada uma Ciência Positiva, por falta de tecnologias e recursos experimentais de nossa ainda rudimentar Ciência.

Segundo Pitágoras, cada número tem um Poder Específico, pois, como tudo no Universo, os números emanam energia.  E energia, como mais tarde provado pelo nosso querido guru, Albert Einstein, não somente vibra em uma frequência específica, como também é matéria.  E como toda matéria ocupa um lugar no universo, podemos afirmar que os números também ocupam este espaço.  Ocupando um espaço específico, os números são capazes de impressionar outros corpos sutis, como as ondas cerebrais, que também são energia e, portanto, matéria.

Assim sendo, ao pensarmos, amarmos, desejarmos bem, ou mal, a alguém, estamos disparando um feixe de energia (matéria), capaz de impressionar corpos.  A válvula propulsora desta energia é a FÉ.  A fé em Deus e em nós mesmos.  Isto explica o que, até bem pouco tempo atrás, era considerada magia ou milagre: pessoas capazes de mover objetos com o poder do pensamento; a cura pela imposição das mãos; e aquele famoso provérbio que o nosso Amado Mestre Jesus um dia nos disse: "Se tiveres FÉ como um grão de mostarda, direis àquela montanha - move-se daqui para ali - e ela se moverá...".

Assim como os números, cada letra e, consequentemente, palavras e frases, também vibram numerologicamente, gerando energias capazes de imantar pensamentos.  Não vamos aqui entrar no âmbito da Numerologia em si, pois caberá a vocês pesquisarem, se assim desejarem.  Mas acreditem que os anos, como uma combinação de números, também vibram, cada um de acordo com um objetivo específico.

O número 2013, por exemplo, vibra em função da energia "6", que significa FAMÍLIA em seu sentido mais amplo.  A grande família universal, que é toda a espécie humana, vai ter um grande aliado neste ano para canalizar o pensamento coletivo para o Amor, a Fraternidade e a União entre as pessoas.  Os negócios, projetos e empresas que convergirem seus produtos e serviços para este fim terão, por consequência, bastante sucesso financeiro, projeção, entre muitas outras coisas positivas.

E vocês, minha estimada leitora e meu estimado leitor, terão um ano que propiciará a sinergia familiar.  Neste ano, volte-se para a sua Família.  Abrace seus filhos.  Mas, não esqueça - a Família não se limita aos que moram com você.  Seus vizinhos, colegas de trabalho e todo aquele que possa ser alcançado pelo seu sentimento de fraternidade e caridade também é considerado como um membro de sua família.  Ajude-os.  Ame-os.  Tudo isto retornará para vocês em dobro.

Assim sendo, minhas caras e meus caros, acreditando ou não em numerologia, não deixe de acreditar em Você Mesmo.  Pois acreditar é uma forma eficiente de canalizar toda energia criadora que existe dentro de você para fazer algo mais grandioso do que simplesmente mover corpos - Mover o Caminho de Sua Vida.

Um Feliz 2013 para Você e TODA a sua Família.

E não esqueça:

"2013 - O Ano das Maravilhas" - Esse é o mantra.

30/12/2012

David Stephen

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Modelagem Conceitual de Dados - Nunca foi tão necessário

A cada dia que se passa as ferramentas de produtividade na área de TI vão avançando em qualidade, facilidade e potencial de versatilidade.  Em poucos minutos é possível criar aplicações que dantes levavam dias e até meses.  Mas isso tem um efeito colateral gravíssimo!  Tenho presenciado excelentes profissionais de programação desenvolverem sofisticados sistemas sem a devida preocupação com a normalização de seus dados.  Redundâncias não controladas, inconsistências de integridade referencial indireta, são apenas dois dos exemplos de problemas ocultos escondidos debaixo do tapete por profissionais desavisados.

Apesar de todas as ferramentas CASEs e sofisticadas IDEs lançadas no mercado, a modelagem conceitual de dados é algo que nenhum utilitário consegue substituir.  Estamos falando do conhecimento do mundo real do usuário.  A grande maioria dos desenvolvedores iniciam suas implementações a partir da codificação do software, em vez de começar pelo bom e velho rabisco.  Estamos falando de algo que, para você, caro leitor, pode parecer uma bobagem - mas estou cansado de presenciar implementações mal sucedidas por falta daquela palavrinha chata para os técnicos de TI: "planejamento".

Iniciar o desenvolvimento de um sistema pela implementação é como construir uma edificação sem a planta baixa.  Imaginem só se, ao lançar a última laje de um edifício, descobre-se que o banheiro deveria ter ficado do lado oposto do apartamento?  O que é óbvio para a engenharia civil, não é tão claro assim quando se fala em engenharia de software.  Erros básicos de modelagem de dados vêm sendo cometidos a três por quatro, atrasando cronogramas, modificando escopo e encarecendo projetos bem no meio de sua linha do tempo.

Programadores!  Engenheiros de software!  Vamos ter humildade e voltar a estudar essa matéria jurássica que nunca foi tão necessária em meio à alucinante velocidade com que os aplicativos e sistemas são desenvolvidos para nossos clientes.

Ah, não poderia deixar de avisar aos amigos tecnológicos: estarei lançando já em janeiro de 2013 o curso: Modelagem Conceitual de Dados, para desenvolvedores, analistas e engenheiros de software. Será pela Acadetec Online (www.acadetec.com.br).

Fiquem ligados !

domingo, 2 de dezembro de 2012

Você é empreendedor?

Olá amigos.  

Vivemos num país onde todo mundo se julga empresário, administrador e técnico de futebol.  Não adianta discutir - todo mundo tem uma receita de bolo para dar certo e uma escalação perfeita para a seleção brasileira. Em minhas palestras eu costumo indagar: se administrar uma empresa fosse fácil ninguém passava 4 anos fazendo um bacharelado em administração.  Imagine empreender um negócio, que nem faculdade tem para isto?  Este é um campo fértil para as mais translocadas atitudes "empreendedoras", e porque não dizer, muitas vezes suicidas!

O Brasil é o segundo país mais empreendedor do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. Aqui, em se plantando tudo dá!  Mas, quando olhamos para o outro lado da mesa, vemos um dos maiores índices de mortalidade das micro e pequenas empresas.  Segundo a pesquisa do Sebrae divulgada em outubro de 2011, esta taxa pode chegar a 43% em alguns estados para empresas com até 2 anos.

Um dos campos mais férteis para o empreendedorismo no Brasil está, sem sombra de dúvidas, no mercado da Tecnologia da Informação.  Graças a nossas mentes criativas e a um mercado onde a principal commodity é o pensamento, grandes oportunidades se espraiam por todas as regiões do Brasil e, principalmente, fora do país, onde mercados como o de games e de soluções Web têm se beneficiado enormemente de nossos talentos.

Mas mesmo em um mercado aparentemente tão acessível, desenvolver um produto e começar a vender não é regra sinequanon para o sucesso.  Muitos jovens empreendedores quebram antes mesmo de atingir voo de cruzeiro porque ignoram que o Empreendedorismo é uma Ciência, diferente de Administração e das demais ciências aplicadas.  Poderíamos aqui enunciar 10 mandamentos, 7 segredos e 20 receitas empacotadas para o sucesso de sua empresa, mas estaríamos chovendo no molhado, pois, como todo e qualquer adolescente que acaba de sair da puberdade, o jovem empreendedor muitas vezes prefere contrariar alguns teoremas científicos elementares e, em detrimento de aconselhamentos e literaturas, trilhar por caminhos épicos, seguindo passos de ídolos como Steve Jobs, Bill Gates, ou mais recentemente as vedetes do Facebook (Zuckerberg) e da Google (Larry Page e Sergey Brin).

Então, em vez de regras de sucesso ou receitas de bolo para o êxito em empreendimentos, vamos fazer o contrário: algumas dicas sobre o que NÃO se deve fazer ao iniciar um empreendimento:

1. Contratar quem você não pode demitir.  Refiro-me aqui a pessoas da família ou amigos íntimos que não tenham nada a contribuir exceto com a sua lealdade;

2. Convidar sócios por amizade ou relações familiares. Cuidado com a montagem de sua sociedade.  O sócio, assim como todo e qualquer colaborador a ser contratado, deve ter ativos a injetar em sua empresa, além de princípios éticos, é claro.  Os ativos a que nos referimos são capacidades, talentos ou simplesmente GRANA, sem as quais você REALMENTE não consiga levar o negócio adiante;

3. Informalidade.  Estabeleça relações claras e DOCUMENTADAS com tudo e com todos.  Não prescinda de contratos que garantam: propriedade intelectual, continuidade dos serviços básicos de fornecimento de seus insumos e mão de obra, confidencialidade, etc;

4. Coração acima da razão.  Também diga não ao contrário.  A razão e o coração devem estabelecer uma relação de respeito e igualdade.  Quando o coração assume a liderança há espaço para a impulsividade, negligência e outros fatores que poderão quebrar seu negócio em pouco tempo.  Mas a razão pura não consegue ter energia suficiente para chegar longe - o segredo está no equilíbrio.  Se você não consegue estabelecer este equilíbrio, procure um sócio (gerente) que lhe imponha este contrapeso.

5. Dinheiro acima de tudo.  É comum cedermos a tentações de desvirtuar os rumos traçados em nosso planejamento simplesmente por uma boa proposta financeira.  Quer seja para compra antecipada de seu negócio, quer seja na assunção de um cliente ou serviço fora de escopo, tudo isto pode dispersar suas energias e tirar o seu foco do alvo almejado.  Foco é um dos segredos do sucesso.

Se você acha que acabou, enganou-se.  Lembre-se: empreendedorismo é Ciência, e como toda ciência, deve ser estudada e levada a sério.  Ou você se aprofunda nela ou se cerca de pessoas que possuem tal conhecimento.  De outro modo, vamos confiar na sorte e no Zeca Pagodinho, quando diz: "deixa a vida me levar - vida leva eu".

Mas atenção !  Não estou querendo aqui, de modo algum, desestimular você, ou esses jovens brilhantes com uma ideia na cabeça e um sonho no coração.  Apenas peço que pensem em alguns erros comumente cometidos por mais de 99% dos empreendedores que fracassam.

Quer saber mais sobre Empreendedorismo?  Faça um curso introdutório comigo.  Este curso vai ser disponibilizado ONLINE ainda no mês de dezembro pelo endereço:

Outro curso que recomendo a você, antes mesmo de fazer o curso de Empreendedorismo, é o de Marketing Pessoal: também ONLINE.  Este já está disponível e pode ser feito pelo link:

Ou simplesmente converse com a gente no Fórum Acadetec: é grátis e aberto ao público.  E pra começar, postei um tópico lá intitulado: Empreendedorismo.  Leia e participe do tópico: 
"Você é empreendedor?" -  http://migre.me/cbctt

Ah, e tem mais.  Não acredite 100% em mim.  Também tive sucessos e fracassos.  Procure conhecer mais cases de outros empreendedores.  Conhecimento nunca é demais !