terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Distância Transacional na Educação a Distância




Distância Transacional. Você já ouviu falar disto? Este é o maior desafio de toda e qualquer instituição de ensino a distância. Entendemos por distância transacional a percepção da distância real entre o educador e o aprendiz. Quanto menor for esta percepção, mais eficaz será o método de EAD adotado. A distância transacional é encurtada quando o sistema se utiliza de recursos que promovam a interatividade entre o aluno e o professor. A história recente da EAD no Brasil demonstra que recursos como teleaulas interativas, associadas a um bom material didático, são os que mais reduzem a distância transacional entre o educador e o educando.  A disponibilidade de outros recursos de comunicação síncrona e assíncrona como Chat Online, Fórum de Discussões, entre outros, também é uma forte aliada neste processo cognitivo. 


Como reduzir a distância transacional?

Os melhores sistemas de ensino associam os recursos síncronos aos assíncronos (veja o significado desses conceitos logo abaixo) na medida certa e, preferencialmente, dosados de acordo com o perfil cognitivo de cada aluno.  Um sistema considerado ideal oferece ao seu estudante a possibilidade de eleger a intensidade e o modo de uso de cada um desses recursos de acordo com suas necessidades.  Vamos exemplificar um processo cognitivo hipotético bem sucedido para um aluno tipicamente brasileiro: 

Eduardo estuda logística em um curso técnico a distância.  O dia de sua web-aula ao vivo (síncrona) é a terça-feira das 19h as 20:30h.  Neste dia e horário o Eduardo pode optar entre participar da aula presencialmente em uma web-sala próxima de sua residência (dentro de um polo de apoio presencial), ou fazer isto a distância, através do recurso de web-streamming do seu ambiente virtual de aprendizagem, neste caso, a partir de sua própria casa de onde mais ele puder acessar a Internet.  Ao longo da aula, o Eduardo pode solicitar que seu tutor presencial mande suas perguntas em tempo real para o seu professor responder, diretamente de um estúdio.  Caso o Eduardo esteja em sua casa, essas perguntas podem ser enviadas diretamente ao mediador de estúdio.  De uma forma ou de outra, seu professor responderá à sua pergunta ao vivo, não apenas para ele, mas para todos os demais alunos conectados.  A dúvida do Eduardo poderá ser a dúvida de muitos colegas, por isto o mediador de estúdio, bem como o tutor presencial de cada polo é uma peça importantíssima neste sistema de ensino-aprendizagem síncrono.  O professor da disciplina de Logística de Distribuição, que está ministrando a web-aula ao vivo, passará um conjunto de atividades a seus alunos. Essas atividades deverão ser desenvolvidas por eles, de forma assíncrona, ao longo da semana, e postadas no ambiente virtual de estudos antes que uma nova web-aula ao vivo aconteça.  Durante a semana de estudos, Eduardo e seus colegas trocarão informações via Fórum (assíncrono)  e Chat Online (síncrono), postando suas dúvidas e discutindo as problematizações propostas pelo seu professor.  Todo o conteúdo que não pôde ser abordado na web-aula vivo está disponível no livro didático, que aprofundará o tema em estudo com referências a bibliografia complementar, links, tutoriais, simuladores e inúmeras outras fontes de pesquisa e exercícios.  

Acabamos de conhecer a experiência de aprendizagem do Eduardo.  A ordem e a intensidade com as quais o Eduardo recorre a cada um desses recursos é determinada apenas por ele, evidentemente, a exceção das web-aulas ao vivo, que têm data e hora para acontecerem.


Algumas terminologias que precisam ser entendidas


Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA)

Chamamos de AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) todo software (programa de computador) capaz de hospedar e organizar conteúdos educacionais de forma interativa, de modo a propiciar a transmissão e compartilhamento de conhecimentos entre os atores do processo educativo.


Tutoria

A essência da Educação a Distância (EAD) está na construção do conhecimento de forma colaborativa. Contudo, é necessário um acompanhamento deste processo cognitivo, respeitando o projeto pedagógico e os fundamentos básicos da pedagogia. Neste sentido, o papel do tutor é ser o facilitador deste processo, monitorando a aprendizagem a distância, respondendo questionamentos, elucidando dúvidas, corrigindo atividades com feedbacks, enfim, repaginando o papel do professor no paradigma do ensino presencial.  Mas em um sistema de EAD não existe apenas um tipo de tutor.  A tutoria portanto pode ser composta por um ou mais dos seguintes perfis profissionais:

Tutor online, tutor conteudista ou tutor de conteúdo: Este é o tutor clássico. Estamos falando de um professor de carreira que se coloca a disposição de um grupo de alunos para exercer o seu papel de educador a distância.  Este tutor propõe atividades, corrige-as, esclarece dúvidas e promove ações para motivar seus alunos, compensando a distância física com a redução da distância transacional.

Tutor presencial: Este é o tutor que presta suporte aos alunos que recorrem ao polo de apoio presencial, aplicando provas e atividades presenciais, organizando visitas técnicas, mediando as web-aulas ao vivo dentro da sala de aula, distribuindo material didático, enfim, realizando todas as atividades que o tutor online não consegue fazer em virtude da distância física que os separam.

Tutor de processo: Atuando de forma online, o objetivo deste profissional é suavizar a carga de trabalho operacional dos tutores conteudistas, filtrando as demandas dos alunos.  Estatísticas revelam que mais de 70% das dúvidas postadas pelos alunos nos fóruns e demais canais de interação com a instituição não se refere necessariamente ao conteúdo em estudo, mas sim ao processo tecnológico e/ou administrativo.  Deste modo, a tutoria de processo se posiciona como um call-center educacional, realizando operações como alteração de senhas e logins, orientação na utilização do AVA, registro de bugs (inconsistências) apontados no sistema como um todo e instrução quanto aos processos administrativo-financeiros (secretaria e tesouraria virtuais).  Se bem dimensionada, a tutoria de processo pode aumentar a proporção entre alunos e tutores conteudistas, pragmatizando o processo de atendimento e elevando a eficiência do sistema de EAD da instituição.


Conteudista

Não devemos confundir o conteudista com o tutor de conteúdo.  Damos o nome de conteudista ao professor-autor de conteúdos didático-pedagógicos para EAD.  Este docente é o responsável por todo o projeto intra-disciplinar e, dependendo da instituição e da natureza dos cursos em oferta, podem responder por todo o projeto pedagógico institucional.  São os conteudistas que escrevem os livros didáticos e determinam os requisitos dos objetos de aprendizagem a serem desenvolvidos, planejam as atividades a serem propostas ao longo de suas disciplinas, roteirizam as web-aulas, etc.  Para produzir esses conteúdos e objetos, o conteudista necessita do auxílio de outros profissionais, como o Designer Instrucional (DI) e, no caso de videoaulas e web-aulas ao vivo, também de toda uma equipe tecnológica, a saber: diretor de cena, cinegrafista, operador de corte, editor multimídia, diagramadores, entre outros.


Designer Instrucional

Profissional com múltiplas habilidades, o Designer Instrucional articula competências nas áreas de educação, design e, em alguns casos, artes cênicas.  Dependendo do estilo e metodologia de EAD adotada pela instituição, vários DI's podem ser empregados, cada um dentro de uma área de especialização.  Mas o objetivo primordial deste profissional é o suporte na construção e organização dos conteúdos didático-pedagógicos.


Recursos Didático-Pedagógicos Síncronos

Dizemos que um recurso didático-pedagógico é síncrono quando ele permite a troca de informações e, consequentemente, a construção do conhecimento entre educador e educando em tempo real.  Chat online, web-aulas e teleaulas ao vivo são bons exemplos disto. Recentemente os jogos digitais em rede vêm sendo utilizados como recursos didáticos síncronos, permitindo a aplicação de objetos de aprendizagem em tempo real envolvendo um conjunto de aprendizes que interagem entre si.  Os recursos síncronos costumam ser âncoras cognitivas dos sistemas de ensino-aprendizagem mais bem sucedidos, pois são os que mais aproximam o paradigma da EAD do ensino presencial, onde o professor está transacionalmente presente com seus aprendizes, e eles entre si.


Recursos Didático-Pedagógicos Assíncronos

Classificamos como assíncronos os recursos que, apesar de interativos, não exigem a participação dos atores educacionais em tempo real.  São exemplos desses recursos: fórum de dúvidas e discussões, cadernos virtuais interativos, videoaulas online, livros didáticos eletrônicos (e-books), entre uma infinidade de outros recursos.


Vantagens da EAD sobre o ensino presencial

Apesar do preconceito e resistência da geração "X" ao método de ensino-aprendizagem a distância, esta modalidade de educação só vem crescendo no Brasil e no mundo.  O número de matrículas em graduações a distância já supera os do ensino superior tradicional.  O mesmo ocorre com os cursos preparatórios para concursos e, sobretudo, na pós-graduação lato-sensu e stricto-sensu.  As pessoas estão descobrindo o que a geração "Y" já sabe há muito tempo: mais do que comodidade e preço, a EAD vem se apresentando como método de extrema qualidade e eficácia na construção do conhecimento.  A prova cabal disto é refletida nos números do senso escolar no Brasil.  Alunos que estudam a distância já passam mais nos vestibulares do que os presenciais (dados INEP 2009 e 2010).  E com o crescimento da banda larga, cada vez mais pessoas conseguem ter acesso a esta tecnologia, o que configura uma tendência inequívoca e irremediável para os próximos anos.

Conte-nos sua experiência com ensino a distância.  Já fez cursos assim?  Que dificuldades enfrentou?  Vamos compartilhar nossas experiências?  Bons estudos !

David Stephen